O homem que agrediu um militar da GNR de Loulé à pedrada e à dentada ficou em liberdade por determinação do tribunal, enquanto a vítima já regressou ao trabalho para não perder dinheiro.

O militar de 24 anos «não está de baixa, porque se estiver de vão descontar-lhe no ordenado». «Ele tem família e precisa do dinheiro. Prefere andar cheio de dores a trabalhar», disse à TVI Pedro Manata e Silva, da Associação de Profissionais da Guarda.

Com mais esta agressão a um militar, reforçam-se os pedidos à tutela. «O subsídio de patrulha devia ser aumentado pelo menos para dobro», acrescentou a mesma fonte, considerando que os 59 euros que cada patrulheiro ganha a mais por mês não é suficiente.