Atualizada com a reação da Ryanair no dia 20 de fevereiro às 19h59

Só a polícia acabou com o pesadelo dos passageiros do voo FR8347 da Ryanair com origem em Stansted e destino Porto, na passada sexta-feira.

Em declarações ao tvi24.pt, João Pinheiro revelou que «a polícia foi chamada porque os passageiros foram impedidos de sair do avião», encontrando-se «sequestrados» há cerca de quatro horas.

«Não nos davam água nem comida e nós queríamos sair do avião, ir para o terminal, onde sabíamos que havia máquinas de comidas e bebidas», contou. «Foi lamentável a falta de sensibilidade do piloto, que durante 4 horas foi incapaz de falar a verdade, dar uma justificação, dar água pelo menos às crianças, enfim fazer qualquer coisa...», criticou o passageiro.

Perante a falta de colaboração do comandante do voo - «que nunca deu a cara» - os passageiros viram-se obrigados a chamar a polícia para que estes os ajudassem.

«A polícia falou com o responsável do terminal e deu-lhes um «time frame» de 5/10 minutos para que abrissem o terminal e recebessem os passageiros. Como não apareceu nenhum responsável do terminal, a polícia fez sair os passageiros e escoltou-os até ao terminal, acabando por arrombar as portas para que entrássemos», relatou João Pinheiro.

De acordo com o português, o aeroporto de Stansted fechou portas cerca da uma da manhã, não havendo, por isso, staff para receber os passageiros.

«A tripulação nada podia fazer, estava apenas a cumprir ordens, e mesmo assim fez o que podia», afirmou João Pinheiro, que filmou as quatro horas que passou fechado dentro do avião e garantiu ao tvi24.pt que os «desabafos que se ouvem no vídeo são dirigidos ao comandante e não à tripulação».

O vídeo acabou por se tornar viral nas redes sociais tendo já mais de 39 mil visualizações. O mesmo foi partilhado pelo deputado do PSD no Parlamento Europeu, Carlos Coelho.





Contactada pelo tvi24.pt, a Ryanair afirmou que o adiamento do voo se deveu a «condições atmosféricas adversas» que obrigaram a desviar os voos do aeroporto de Heathrow para Stansted.

«Devido a ventos fortes em todo o sul da Inglaterra (14 de Fevereiro), mais de 20 aeronaves de outras companhias aéreas foram obrigadas a desviar-se do Aeroporto de Heathrow para Stansted, o que teve um impacto significativo nas operações em Stansted. Este voo da Ryanair de Londres-Stansted para o Porto foi atrasado por causa isso e, em seguida, foi adiado devido a um problema de abastecimento de combustível no aeroporto. Os passageiros neste voo desembarcaram e foram munidos de cupões de bebida. A aeronave partiu na manhã seguinte às 7h50. As mais sinceras desculpas a todos os passageiros da Ryanair afetados por esses atrasos causados pelas condições climáticas adversas, que estavam fora de nosso controlo», revelou a empresa em email.