"A Câmara Municipal de Viana do Castelo decide que, no quadro de um plano da responsabilidade do Estado central, apoiará o esforço de integração destas vítimas, honrando as tradições de solidariedade e humanismo do povo do nosso concelho", lê-se no documento aprovado hoje em reunião ordinária do executivo.




"O Estado português deve, por razões humanitárias e por obrigação constitucional, tomar as medidas para dar o devido acolhimento a refugiados e imigrantes numa expressão da solidariedade para com os povos vítimas das agressões e políticas. Um acolhimento que permita a integração plena, nos planos social, económico, e laboral, bem como dos direitos à saúde e à educação", acrescentou a moção a enviar ao governo.