A ambulância do INEM dos bombeiros voluntários de Viana do Castelo, bloqueada há mais de uma semana numa oficina, vai voltar ao serviço, "o mais tardar na segunda-feira", depois de resolvidas questões burocráticas associadas a um acidente em junho.

A seguradora Mapfre contactou a corporação, dizendo que a situação estava desbloqueada. A oficina adiantou que faltam apenas uns pequenos trabalhos. Contamos, o mais tardar na segunda-feira, ter a viatura ao serviço", afirmou hoje à agência Lusa o presidente da direção daquela corporação, José Salgado.

O responsável congratulou-se com a resolução do impasse com a ambulância de emergência, atendendo à época do ano, com muitos visitantes na cidade.

A única ambulância atribuída pelo INEM àquela corporação sofreu um acidente de aviação, a 17 de junho, quando "foi abalroada por um veículo ligeiro que passou um traço contínuo".

Na quarta-feira, José Salgado lamentou a demora na reparação da viatura.

Ao que conseguimos apurar, a Mapfre [seguradora] ainda está na fase das peritagens. É lamentável, por se tratar de uma viatura com meios a bordo para prestar socorro imediato que não está ao serviço dos bombeiros", disse na ocasião.

Contactada, na altura, pela Lusa, fonte do INEM explicou que "a reparação mecânica da ambulância estava concluída, faltando a parte de chaparia e pintura, dependente da conclusão do processo de piratagem da Mapfre". A Lusa também tentou ouvir a seguradora Mapfre, mas sem sucesso.

Face à ausência daquela viatura, em alternativa, os bombeiros voluntários "estão a utilizar meios próprios para garantir o socorro às populações".

Fundados em 1881, os Bombeiros Voluntários de Viana são das mais antigas corporações do país. Contam com uma estrutura constituída por mais de 35 profissionais e cerca de 95 bombeiros.