Um grupo de aventureiros portugueses prepara-se para fazer o Rally Mongol, a iniciativa humanitária que começa, por norma, em Londres e termina em Ulan Ude, junto à Mongólia. No total, estes "carapaus de corrida" vão atravessar um terço do mundo, num carro pequeno e pouco potente, tal como manda a tradição. 

Com as verbas doadas, pretendem equipar escolas com material escolar, mapas, globos, distribuição de filtros de água, apoiar na educação das crianças, etc, em países onde isso não é uma prioridade.

É já no próximo verão que cinco portugueses se vão lançar à estrada para dar início a uma aventura que promete mudar muitas vidas. Sob o lema de "mostrar o mundo aos portuguesas e mostrar Portugal ao mundo", estes aventureiros vão pisar 24 países e fazer cerca de 15 mil quilómetros em 50 dias, conduzidos por um carro muito pouco moderno, mas também pelo sonho de tornar "o mundo num lugar melhor"

O percurso dos aventureiros vai começar em Londres e terminar na cidade russa de Ulan Ude, junto à Mongólia. Vão atravessar vários países, entre eles a Turquia, o Irão, Uzbequistão, Afeganistão, com o objetivo de mostrar ao mundo a beleza e singularidade destas regiões, muitas delas conturbadas em termos políticos e pouco exploradas culturalmente.   

Ao mesmo tempo, a equipa (Carla Mota, José Oliveira, Agostinho Leitão, Eduardo Figueiredo e Rui Pinto) vai apoiar duas causas nobres: as Aldeias de Crianças SOS e a Cool Earth, e por isso está até ao dia 2 de fevereiro a realizar uma campanha de crowdfunding que pretende recolher o maior número de fundos para ajudar estas instituições. 

Queremos mudar o mundo. Queremos contribuir para tornar o nosso planeta um lugar melhor. Queremos levar sorrisos e recolher alegria. Queremos levar educação que possa dar frutos daqui a alguns anos. Queremos sentir que contribuirmos para um mundo melhor, um mundo onde as pessoas são mais aptas para lidar com os seus problemas e mais conscientes. Queremos ser cidadãos activos e praticantes",contou Carla. 

A ajuda começa com 5 euros e, por diversos valores doados, os apoiantes podem receber em troca postais dos países visitados, posters da viagem, escrever mensagens no carro da equipa ou até almoçar com os carapaus na cerimónia de partida. 

Pretendemos assumir-nos como viajantes-embaixadores, levando a imagem de Portugal ao mundo e aos mercados emergentes. Pretendemos distribuir postais e produtos tradicionais das várias regiões de Portugal, despertar a curiosidade, mostrar que Portugal é feito da alma das suas gentes", revelou Carla. 

O Rally Mongol, também conhecido como a "a mãe de todas as aventuras", é uma iniciativa humanitária internacional que conta com a participação de cerca de 400 equipas de diferentes países e tem três regras simples: cada grupo pode levar apenas um carro - e este deve ser pequeno e pouco fiável -, é necessária uma angariação de cerca de 1000 euros para doar a organizações solidárias e não-governamentais e a equipa está totalmente por sua conta. 

Dos “carapaus de corrida” fazem parte Carla e Rui, que são também os responsáveis do premiado blogue "Viajar entre Viagens" - que conta com mais de 60 mil seguidores nas redes sociais - e que foi eleito como melhor blogue pessoal de viagens pela BTL em Portugal desde 2014 até 2017.

Em 2017, foram escolhidos pela equipa da Media Capital como o único blogue de viagens a figurar num grupo de quatro blogues eleitos para a categoria de Lifestyle dos "Blogs do Ano".