Os dois alunos da EB 2,3 de Amarante que deram entrada, ao princípio da tarde, no hospital da cidade, depois de terem sido picados por vespas europeias, já tiveram alta, avançou fonte hospitalar.

Os adolescentes, uma rapariga de 12 anos e um rapaz de 11, que tinham sido picados no recreio do estabelecimento de ensino, foram observados pelas equipas médicas da unidade hospitalar.

Da parte da manhã, outros dois alunos da mesma escola, de 13 e 11 anos, tinham passado pelo mesmo hospital, recebendo alta pouco tempo depois.

Fonte da proteção civil disse à Lusa que foi realizada durante a tarde nova inspeção ao local, não tendo sido encontrados mais insetos, optando-se por manter uma área interdita na zona onde foi encontrado o vinho das vespas.

Confirmou também que os insetos não pertencem à espécie de vespa asiática.

Ao final da manhã, a escola acionou os serviços de socorro, depois de vários alunos se terem queixado de picadas de insetos. Ao todo foram atingidos oito crianças e adolescentes e um adulto, o que obrigou à deslocação de várias ambulâncias para o estabelecimento e uma equipa do INEM.

A proteção civil concelhia destruiu o ninho, situado numa árvore dos jardins da escola, e dezenas de insetos que ainda se encontravam nas proximidades.

A Lusa não conseguiu ouvir a direção da escola.