Desde a madrugada de quinta-feira que a Covilhã está a ser assolada por fortes incêndios. Um que deflagrou já de tarde, pelas 14:45 mobilizava ainda esta madrugada quase 400 bombeiros. Os moradores estavam aflitos com o cenário que encontravam diante das suas casas e perderam muito do cultivo feito ao longo do ano. O fogo continua a lavrar em Verdelhos, mas foi dominado pelas 11:45 desta sexta-feira. 

"Tenho batatas, tenho feijão, tenho vinho, tenho cebolas. Fiquei sem nada. Fiquei sem nada. Tanto trabalho e fiquei sem nada", disse à TVI uma moradora na zona. 

"Possivelmente não vou dormir. Se isto ultrapassa a estrada vai tudo de vela", receou outro.


Os bombeiros estavam acompanhados por 127 veículos. O repórter da TVI no local deu conta que foram mais de 14 aviões e helicópteros que estiveram na frente do fogo .

Ao início da manhã, o combate às chamas está já numa situação mais "favorável", contou-nos o Comando Distrital de Operações de Socorro. 

"Não há habitações em risco, unicamente zona florestal. A situação decorre de forma favorável. É uma questão de mais algum tempo, sendo que não dependemos só de nós", mas também das condições climatéricas.

Os bombeiros conseguiram dominar o incêndio pelas 11:45, disse à Lusa a Proteção Civil. Esteve ativo durante mais de 20 horas. 

Este incêndio também atingiu o parque natural da Serra da Estrela. Esteve ativo mais de 20 horas, numa situação acompanhada pela Câmara da Covilhã, que lamentou o facto de o concelho estar, desde quinta-feira, a ser assolado por vários incêndios.

“Tivemos situações na Boidobra, Tortosendo, Unhais da Serra, bem como perto do Sarzedo e da Atalaia do Teixoso”. Naturalmente, o caso mais preocupante é o do incêndio de Verdelhos.

Vítor Pereira (PS) informou ainda que na quinta-feira o fogo chegou a “entrar” dentro daquela povoação, tendo queimado uma casa, veículos e armazéns agrícolas.


Combate às chamas também em Guarda e Braga 


Está ainda em curso um fogo que deflagrou no concelho da Guarda às 18:12 e que está a ser combatido por 153 operacionais e 53 meios, segundo informação disponibilizada na página da Internet da Autoridade Nacional de Proteção Civil.

As operações de combate a este incêndio na freguesia de Arrifana permitiram dominar o incêndio pelas 05:00.

Outro fogo está a consumir uma zona de mato em Terras de Bouro, no distrito de Braga, mais precisamente na localidade de Cabaninhas, freguesia de Cavalheira. 

Este incêndio tem, para já, duas frentes ativas e mobiliza 52 bombeiros, apoiados por 14 meios terrestres. 


Atenção ao risco de incêndio noutras regiões


Onze concelhos dos distritos de Castelo Branco, Guarda, Viseu, Santarém e Coimbra apresentam hoje risco máximo de incêndio: Sardoal (Santarém), Vila de Rei (Castelo Branco), Pampilhosa da Serra (Coimbra), Sabugal, Guarda, Gouveia, Fornos de Algodres, Celorico da Beira, Aguiar da Beira, Trancoso (Guarda) e Sernancelhe (Viseu).

O IPMA colocou também em risco elevado e muito elevado de incêndio vários concelhos dos distritos de Lisboa, Santarém, Leiria, Coimbra, Guarda, Castelo Branco, Portalegre, Viseu, Aveiro, Braga, Porto, Viana do Castelo, Vila Real e Bragança.