O Ministério da Educação e Ciência atribuiu mais 35 mil euros à Escola de Música do Conservatório Nacional (EMCN), disse à Lusa a sua diretora, que admite que a verba possa não ser suficiente até ao final do ano.

“Temos em falta 70 mil euros. Esta metade permite-nos, gerindo de forma muito parcimoniosa, talvez chegar ao final do ano, mas nem sei se chega para despesas correntes”, disse à Lusa Ana Mafalda Pernão, diretora da EMCN.


A diretora da instituição referiu que a falta de dinheiro se reflete no trabalho pedagógico da escola, dando como exemplo a necessidade de reparação de dois instrumentos, cujo custo é de centenas de euros.

A Escola de Música do Conservatório Nacional (EMCN) revelou, na segunda-feira, que está sem dinheiro, devido ao corte de 70 mil euros no orçamento, e, “em desespero absoluto”, a direção está a pedir donativos aos amigos e pais dos alunos.

“Os pais não têm qualquer obrigação de contribuir, mas se cada um der um euro, já serão 900 euros e, neste momento, qualquer ajuda é bem-vinda. Este pedido de donativo é o desespero absoluto, porque o dinheiro acabou”, revelou à Lusa Ana Mafalda Pernão, diretora da escola situada no Bairro Alto, em Lisboa.

O apelo teve resposta e desde que foi lançado já foram angariados cerca de dois mil euros, revelou hoje Ana Mafalda Pernão.

Segundo a escola, “nos últimos 12 anos, os orçamentos rondavam os 180 mil euros". "No ano passado desceu para 162 mil. Mas, este ano, a verba atribuída foi de 90 mil, menos 43% em relação ao orçamento do ano anterior, ou seja, menos 70 mil euros”.

A direção escolar foi informada do orçamento em maio e, desde então, pediu ao Ministério da Educação e Ciência (MEC), por várias vezes, mas sempre sem sucesso, que revisse a verba.

O Ministério da Educação e Ciência (MEC) confirmou na terça-feira ter aprovado um reforço de verbas para a EMCN, na sequência de um pedido apresentado pela escola no final de outubro.