A GNR deteve 6.350 pessoas durante a operação “Verão Seguro 2016”, tendo a criminalidade diminuído oito por cento durante os meses de verão em relação ao mesmo período de 2015. 

Num comunicado de balanço da operação “Verão Seguro 2016”, que se realizou entre 1 de junho e 15 de setembro, a Guarda Nacional Republicana refere que as ações de patrulhamento realizadas pelos 1.122 militares contribuíram para a redução de oito por cento da criminalidade em relação ao mesmo período de 2015.

Segundo a GNR, foram detidas 6.350 pessoas em flagrante delito, sendo a maioria por condução sob efeito do álcool (3.320) e sem habilitação legal (1.241), seguido de tráfico de droga (579), furto (275) e posse de arma proibida (198).

A GNR registou ainda, durante os meses de verão, quatro detenções por homicídio.

No âmbito da operação “verão seguro 2016”, aquela força de segurança apreendeu 770 armas, 504 das quais de fogo, 15.692 munições de diversos calibres e 2,4 toneladas de drogas, o equivalente a 8,4 milhões de doses, sendo a maioria haxixe e liamba.

Em relação à fiscalização rodoviária, a GNR registou, entre 01 de junho e 15 de setembro, uma diminuição de cerca de 11 por cento do número de crimes rodoviários.

Também no âmbito das contraordenações, os militares da corporação registaram um decréscimo das infrações, sobretudo de excesso de velocidade e não utilização dos sistemas de retenção.

De acordo com a GNR, 43.520 condutores foram multados por excesso de velocidade, 7.887 por falta de cinto de segurança, 9.381 por excesso de álcool, 6.639 por uso do telemóvel ao volante e 6.376 por falta de inspeção.

Durante o verão, a GNR vigiou ainda 1.713 habitações no âmbito do programa “chave direta”, que permitiu garantir a segurança das casas durante as férias, através da realização de ações de patrulhamento junto das habitações.

O reforço de patrulhamento realizou-se sobretudo nos locais de maior fluxo de pessoas e nos principais eixos rodoviários durante o verão.