O Serviço de Proteção Civil Regional (SPRC) da Madeira emitiu esta sexta-feira uma nota com recomendações para autoproteção devido às previsões de condições meteorológicas adversas até segunda-feira no arquipélago, com queda de neve, forte agitação marítima, vento e precipitação.

«Entre os dias 14 e 17, associado à passagem de superfície frontal fria e à presença de massa de ar polar marítimo frio, prevê-se a ocorrência de períodos de chuva, em geral fraca a moderada no dia 14 e parte do dia 15, passando a regime de aguaceiros», diz a informação do SRPC, aqui citada pela Lusa.

A nota acrescenta que a esta situação está «associado o arrefecimento da ordem de 3 a 4 graus e queda de neve nas regiões montanhosas da Madeira, acima dos 1000/1200 metros».

Quanto ao vento, adianta que «será em geral moderado a forte (20 a 40 quilómetros/hora) e forte (40 a 55) nas zonas montanhosas, com rajadas que poderão atingir os 100/120 quilómetros, em especial durante a tarde de hoje e sábado».

Sobre o estado do mar, salienta que as ondas terão uma «altura significativa», variando entre os quatro e seis metros, podendo atingir pontualmente os nove metros a partir da tarde de sábado e a madrugada de segunda-feira.

Face a estas previsões, a Proteção Civil recomenda que as pessoas evitem «comportamentos de risco que poderão originar acidentes», instando a que respeitem as indicações transmitidas pelas autoridades, nomeadamente no que respeita a encerramento de estradas, percursos alternativos e sinalização na situação de queda de neve.

A queda de neve é um cenário raro na Madeira e, quando acontece, milhares de madeirenses deslocam-se até às serras da ilha para apreciar o «espetáculo», provocando muitas vezes o congestionamento de trânsito.

«Atendendo à forte ondulação, é de evitar circular nas zonas costeiras (falésias, escarpas, vias marginais, passeios marítimos e praias)», alerta a mesma nota, frisando que «nas zonas em risco de erosão costeira, a população deverá tomar atenção à eventual afetação de edifícios localizados junto à costa ou próximo de praias», cita a Lusa.

Ainda no que respeita a medidas a tomar por causa do vento, a Proteção Civil desaconselha viagens em zonas afetadas por esta situação, a circulação em locais com prédios degradados, devido ao risco de derrocadas, e salienta que deve haver especial atenção a estruturas montadas (andaimes, toldos, tendas, telhados), que poderão ser afetadas por rajadas mais fortes de vento, bem como à eventualidade de quedas de árvores.

Por causa da chuva forte, entre as recomendações da autoridade de proteção civil, estão a condução com precaução devido a possíveis congestionamentos de tráfego e a atenção aos lençóis de água que podem formar-se.

«Não conduza ou estacione em zonas propícias a inundações e tenha em atenção a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas e a limpeza de inertes que possam ser arrastados», aponta o SRPC da Madeira.