Comerciantes, motoristas de autocarros de passageiros e residentes em Cariaco, cidade a 510 quilómetros a leste de Caracas, realizaram segunda-feira uma «paragem cívica pacífica» contra a insegurança naquela localidade venezuelana.

Segundo Themar Díaz, porta-voz da comunidade local, a decisão de avançar com o protesto foi tomada depois da falta de resposta das autoridades competentes, com quem, há 15 dias, reuniram para alertar da situação.

«Porta-vozes dos organismos de segurança disseram que carecem de recursos para contratar agentes, para adquirir motos ou viaturas de patrulha», disse aquele responsável aos jornalistas ao salientar que o Ministério de Justiça e a Assembleia Nacional não respondem às preocupações da comunidade, como conta a Lusa.