No Universo BES, há um arguido em prisão domiciliária. Trata-se de João Alexandre Silva, antigo diretor do BES Madeira e ex-representante do Banco Espírito Santo, na Venezuela, apurou a TVI.

Segundo informações recolhidas pela TVI, o arguido foi ouvido na quarta-feira pelo juiz Carlos Alexandre e vai ficar em prisão domiciliária. É suspeito pelo menos de branqueamento de capitais.

A prisão do antigo quadro do BES acontece uma semana depois de o Ministério Público ter realizado buscas em residências, bancos e empresas em Lisboa e na Madeira.

Estão em causa as polémicas cartas de conforto de Ricardo Salgado ao investidor 'Petróleos da Venezuela', no valor de 260 milhões de euros.

A investigação quer saber se houve intenção de prejudicar o grupo BES. E ainda se o GES montou um esquema financeiro para ajudar a 'Petróleos da Venezuela' a branquear capitais.