A Polícia Judiciária anunciou, esta quinta-feira, a detenção de «um homem fortemente indiciado» pela prática de um crime de roubo agravado, ocorrido no passado dia 19, na via pública, em Vila Nova de Gaia.

A PJ refere, em comunicado, que «a detenção teve lugar na sequência de múltiplas diligências de recolha de prova que permitiram imputar ao suspeito a presumível prática de um roubo, com utilização de arma de fogo, de que foi vítima um cidadão que pretendia vender uma consola de jogos e respetivos acessórios, anunciado pela internet».

«O suspeito, mostrando-se interessado em adquirir o objeto, estabeleceu os habituais contactos com a vítima que culminaram com a marcação de um encontro em local público. Após este encontro, aquele convenceu o ofendido a acompanhá-lo a outro lugar com o pretexto de experimentar o referido bem, acabando por cometer o assalto num local mais isolado», esclarece.

A PJ acrescenta que, das diligências efetuadas, foi possível apreender uma arma de alarme, uma pequena quantidade de droga e os objetos roubados.

Apurou-se, ainda, que o detido é toxicodependente e que, nos últimos tempos, terá cometido «dezenas de crimes contra a propriedade por forma a obter os montantes necessários à satisfação do vício, alguns dos quais transacionados através de sítios existentes na internet».

A Polícia Judiciária alerta, por isso, para a necessidade de, neste tipo de transações, «serem adotados comportamentos defensivos que reduzam o risco de ser vítima de crimes como o agora esclarecido».

O detido, de 26 anos, com antecedentes criminais por crimes da mesma natureza e de tráfico de estupefacientes, vai ser presente a primeiro interrogatório judicial para aplicação das adequadas medidas de coação.

A PJ também anunciou a detenção de um homem suspeito da autoria de crimes de roubo agravado a um supermercado e detenção de arma proibida, ocorridos em setembro no Porto.

Em comunicado, a PJ refere que «o assaltante, após se ter apropriado do valor existente em caixa, mediante exibição de uma arma de fogo, ainda foi perseguido por um funcionário do estabelecimento que, contudo, acabou por desistir quando ameaçado com a referida arma».

«O detido encontrava-se, atualmente, a cumprir a medida de coação de apresentações diárias por outro assalto à mão armada cometido em maio de 2013 numa ourivesaria do Porto, pelo qual fora também detido fora de flagrante delito por esta polícia em dezembro passado», esclarece a PJ.

O arguido, de 46 anos, desempregado e com antecedentes por crimes da mesma natureza, vai ser presente a primeiro interrogatório judicial, para aplicação das medidas de coação tidas por adequadas.