A Inspeção-geral das Atividades em Saúde (IGAS) vai começar este mês uma auditoria aos produtos alimentares vendidos nas máquinas automáticas no Serviço Nacional de Saúde, após um pedido da Ordem dos Nutricionistas.

Em comunicado, a Ordem anuncia que a IGAS vai fazer uma análise aos produtos vendidos nas 1.751 máquinas de venda automáticas que existem no SNS, no sentido de perceber se está a ser cumprida a legislação que limita os produtos prejudiciais à saúde.

Esta fiscalização tinha sido sugerida pela Ordem dos Nutricionistas, depois da legislação que veio impedir a venda de produtos mais prejudiciais à saúde nas máquinas automáticas do SNS.

Passaram a ser proibidos nas máquinas de venda dos serviços públicos de saúde alimentos com teores elevados de açúcar, sal e gorduras trans.

Para a Ordem dos Nutricionistas, “esta inspeção é essencial para verificar se existe, de facto, uma melhoria na oferta de opções alimentares, visando a promoção de escolhas saudáveis”.

Em julho, a associação de defesa do consumidor Deco divulgou um estudo em que concluiu que mais de metade das 61 máquinas de venda automática de hospitais e centros de saúde analisadas continham alimentos proibidos por lei.