Quatro jovens entre os 19 e os 22 anos foram constituídos arguidos por terem causado estragos em mais de 100 viaturas na região do sotavento algarvio durante o último mês, anunciou esta sexta-feira a PSP de Faro.

A Polícia de Segurança Pública de Faro explicou, em comunicado, que foi encetada uma investigação «em resposta aos atos de vandalismo em viaturas que ocorreram no início do mês de junho no sotavento algarvio, de Tavira a Vila Real de Santo António, e que causaram prejuízos a muitas pessoas e alarme social».

De acordo com fonte da PSP, os quatro jovens utilizavam uma arma de gás comprimido e, enquanto se deslocavam de carro, disparavam contra outras viaturas em ruas desertas ou até contra uma esquadra de turismo em Vila Real de Santo António.

Nas buscas feitas em duas habitações em Monte Gordo, na quinta-feira, a PSP apreendeu «uma arma de ar comprimido CO2 [dióxido de carbono], cinco caixas com cerca de 900 esferas em aço calibre 4,5 milímetros, duas botijas de gás CO2, um alvo próprio para a prática de tiro desportivo com dezenas de esferas em aço embutidas, nove plantas de liamba, vários vinhos licorosos e artigos de mercearia suspeitos de serem provenientes de furtos ocorridos em Castro Marim e Vila Real de Santo António e ainda um velocípede por se suspeitar ter sido furtado a uma empresa de aluguer».

A situação causou «um grande sentimento de insegurança na população», já que as pessoas estacionavam os carros na rua durante a noite e de manhã deparavam-se com os estragos, sem que os responsáveis fossem identificados ou vistos a disparar.

Ao que a PSP conseguiu apurar, os jovens juntavam-se e começaram a «achar piada àquilo», em particular ao verem os resultados noticiados pela comunicação social.

Os dados já foram transmitidos ao Ministério Público, que vai agora definir as diligências a tomar.