O violento incêndio que atingiu a região de Coimbra e Miranda do Corvo na tarde deste sábado está praticamente dominado e circunscrito. O fogo chegou a ameaçar uma zona habitacional. Mais de 200 bombeiros estão no local a fazer trabalhos de rescaldo e vigilância, como explicou o comandante Fernando Jorge, em declarações à TVI24.

Estamos em fase de rescaldo e vigilância. O fogo começou com uma violência extrema e tivemos problemas complicados nas aldeias de Vale de Açor, Vendas da Serra e Senhor da Serra. Felizmente conseguimos que nenhuma habitação fosse afetada."

O fogo deflagrou em Ceira, que pertence ao concelho de Coimbra, pelas 15:40 deste sábado e alastrou rapidamente devido ao vento forte que se fez sentir na região.

As chamas chegaram à localidade de Vale de Açor, que fica a poucos quilómetros da cidade de Coimbra, e aproximaram-se de uma zona habitacional, causando momentos de grande aflição entre os habitantes, como testemunhou a reportagem da TVI.

O incêndio aproximou-se também das localidades de Senhor da Serra e Vendas da Serra.

Ao final do dia, a situação estava mais calma, mas a preocupação mantinha-se pois o vento continuava a soprar com grande intensidade, dificultando o trabalho dos bombeiros.

Com o cair da noite, os operacionais conseguiram dominar as chamas. 

 

Dominado novo fogo em Nisa

O incêndio que deflagrou ao início da tarde no concelho de Nisa, distrito de Portalegre, foi considerado dominado pouco depois das 19:00.

O alerta para o incêndio, em Montalvão, foi dado às 13:39 e, ao longo da tarde, foi combatido por um total de 115 operacionais, com o apoio de 36 viaturas e de vários meios aéreos, incluindo dois helicópteros espanhóis, adiantou à agência Lusa fonte dos bombeiros.

Trata-se de um novo incêndio, distinto dos outros que assolaram o concelho de Nisa esta semana e que se encontram em fase de resolução.

As chamas destruíram uma área ainda por determinar de pasto, mato e montado.