O presidente da Câmara de Vila Real, Rui Santos, vai apresentar uma queixa ao Ministério Público denunciando estar a ser vítima de usurpação de identidade. 

«Tomei ontem [segunda-feira] conhecimento de que estou a ser vítima de usurpação de identidade. Até este momento tenho conhecimento de três situações recentes em que isto se verificou, que serão relatadas às autoridades policiais competentes»,  refere o autarca, em comunicado enviado à comunicação social que a Lusa cita. 

Segundo explicou Rui Santos, em duas das situações foram feitos telefonemas, tentando convencer os destinatários a carregarem uma importância em dinheiro, num determinado telemóvel (917000842), supostamente a seu pedido.

No terceiro caso, um taxista de Vila Real foi chamado ao aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto, para recolher o autarca no regresso de uma viagem, que garante que «nunca fez».

«Se estas situações não afetassem a vida de terceiros, poderiam ser encaradas com alguma ligeireza, mas infelizmente não é assim. Peço por isso que ignorem quaisquer pedidos deste tipo ou similares e que me façam chegar informação, no caso de serem contactados em meu nome», acrescentou.

O presidente diz estar sempre disponível para ajudar quem precisar de ajuda e para receber quem o solicite. «Como é evidente, não posso aceitar que se use abusivamente o meu nome», frisou.

O autarca solicita, por isso, que sejam relatadas quaisquer situações deste género, em que seja utilizado o nome ou o cargo do presidente do município.

Rui Santos está a preparar uma queixa para ser entregue no Ministério Público, enquanto o taxista afetado já formalizou uma queixa desta situação na Polícia de Vila Real.