Uma septuagenária que geria um esquema de empréstimos marginal ao sistema bancário foi condenada hoje, no tribunal de Matosinhos, a uma multa de 75 mil euros, ficando provado que praticou o crime de usura na forma continuada.

Na leitura da decisão judicial, a juíza explicou que a arguida, de 73 anos, conhecida como «a banqueira de Matosinhos», só não cumpre uma pena de prisão uma vez que já tem 73 anos e porque «tem uma doença oncológica».

O filho da «banqueira», um coarguido que estava acusado de branqueamento de capital, foi absolvido.

A mulher, que declarava quatro mil euros de rendimentos por ano, apesar de ter dois milhões de euros no banco, estava acusada de emprestar dinheiro, cobrando juros excessivos, que iam dos 40% aos 100%.

A alegada «banqueira» era conhecida em Matosinhos e procurada por pessoas com dificuldades financeiras de todo o país.

O caso foi investigado na sequência de uma denúncia, em 2010, de um dos supostos devedores, dando origem a buscas a casa da arguida.

Durante essas buscas, foram apreendidos 4,5 quilos de peças em ouro, mais de 25 mil euros em dinheiro, quadros, cheques, extratos bancários que eventualmente estariam relacionados com as atividades da septuagenária.