Os hospitais da Área Metropolitana de Lisboa vão deixar de ter nas urgências noturnas as especialidades médicas que forem concentradas nos hospitais de São José e Santa Maria (Lisboa), explicou esta quarta-feira a Comissão de Coesão Social da assembleia metropolitana.

«A partir de 02 de setembro, com a concentração nestas duas unidades das especialidades de oftalmologia e psiquiatria, os hospitais da Área Metropolitana de Lisboa deixarão de ter estas especialidades no período noturno. Isso vai obrigar a que utentes, nomeadamente da península de Setúbal, tenham de se deslocar ou sejam transferidos para Lisboa», afirmou a presidente da Comissão Permanente de Coesão Social da Assembleia Metropolitana de Lisboa.

Sofia Cabral falava à agência Lusa à saída do Ministério da Saúde, após uma reunião com o secretário de Estado da Saúde, Manuel Ferreira Teixeira, na qual manifestou o seu «desagrado e preocupação» pela medida, que vai «trazer um grave prejuízo» à população da margem sul do Tejo.

Segundo a presidente da comissão, os doentes vão continuar a dirigir-se aos hospitais como acontecia até agora. Contudo, caso se trate de uma urgência noturna nas especialidades que serão concentradas nos dois hospitais de Lisboa, os utentes são reencaminhados ou transferidos para São José ou Santa Maria.

De acordo com a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT), as especialidades que, a partir de setembro, vão ser concentradas de forma faseada na urgência metropolitana serão Oftalmologia, Psiquiatria (iniciam a 02 de setembro), Cirurgia Plástica/Maxilofacial, Urologia, Cirurgia Vascular, Neurologia e Gastroenterologia. Otorrinolaringologia foi concentrada há cerca de um ano.

«A concentração destas especialidades numa única urgência noturna em Lisboa terá um impacto negativo na prestação de serviços de saúde. Além disso, este assunto não foi discutido nem com a Ordem dos Médicos nem com os autarcas», criticou Sofia Cabral.

Num comunicado emitido na semana passada, a ARSLVT referiu que a segunda fase da reorganização das urgências noturnas de Lisboa começa a 02 de setembro, nos hospitais de Santa Maria e São José, «com a concentração das especialidades de Psiquiatria e Oftalmologia».

A entidade adiantou, sem precisar o dia, que, numa terceira fase, a decorrer entre outubro e novembro, serão concentradas, também em São José e Santa Maria, as urgências noturnas das especialidades de Urologia e Cirurgia Vascular.

A ARSLVT acrescentou que, até ao fim do ano, «trabalhará juntamente com os hospitais na avaliação das urgências das especialidades de Cirurgia Plástica, Cirurgia Maxilo-Facial, Neurologia, Gastrenterologia, Cardiologia de Intervenção e Cirurgia Cardíaca».

O secretário de Estado adjunto do ministro da Saúde, Fernando Leal da Costa, salientou, na sexta-feira passada, que a reorganização «se aplica à cidade de Lisboa e à necessidade, de um ou outro hospital em torno de Lisboa, que já não tem essa urgência, mas que têm especialistas, poderem vir a colaborar nas escalas».

A Lusa tentou obter mais esclarecimentos do Ministério da Saúde, mas até ao momento não foi possível.

A Área Metropolitana de Lisboa abrange 18 municípios da margem norte do Tejo (na Grande Lisboa) e da península de Setúbal, a sul do rio: Amadora, Almada, Alcochete, Mafra, Sintra, Loures, Vila Franca de Xira, Cascais, Oeiras, Odivelas, Lisboa, Seixal, Barreiro, Moita, Montijo, Sesimbra, Setúbal e Palmela.