O Centro Hospitalar de São João anunciou esta terça-feira que, com efeito a partir de segunda-feira, o atendimento pediátrico de urgência do Hospital de Valongo passou a ser feito no Porto, decisão contestada pelo Bloco de Esquerda local.

«O Centro Hospitalar de São João decidiu, a partir de 26 de agosto, promover o acesso direto à Urgência Pediátrica Integrada do Porto, em funcionamento no polo do Porto, para as crianças e jovens do concelho de Valongo», indicou, em comunicado, o centro hospitalar.

Também hoje, o Bloco de Esquerda de Valongo assinalou que esta «medida injustificável é coerente com o que tem sido a política de esvaziamento de serviços daquela unidade pública de saúde, em claro benefício dos hospitais privados que crescem como cogumelos no concelho».

O Centro Hospitalar de São João refere que a média de crianças e jovens atendidos em Valongo se fixava em 22 a nível diário e considera que agora «passam a ser observadas por médicos especialistas em Pediatria Médica e Pediatria Cirúrgica, a ter acesso direto a todas as especialidades médicas, a exames de diagnóstico e a bloco operatório que permitem mais adequado diagnóstico e tratamento».

«O atual presidente da Câmara e candidato a novo mandato, por falta de vontade ou por escasso peso político, nada tem feito para impedir o desmantelamento do hospital público. Esta é a realidade, mesmo que, no seu habitual estilo fanfarrão, surja em público, com frequência, a dizer que impediu o fecho deste ou daquele serviço hospitalar», acusa o Bloco de Esquerda, acrescentando que já fecharam os «serviços de Análises Clínicas, de Medicina e Cirurgia e que a radiologia encerra às 00:00», cita a Lusa.