As instalações no Porto da empresa ALR.CO Wealth Planning Solutions foram quarta-feira alvo de buscas no âmbito do “Universo Espírito Santo”, não tendo, segundo a Procuradoria-Geral da República (PGR), sido constituídos “quaisquer arguidos”.

Durante o dia de quarta-feira ocorreram buscas nas instalações no Edifício Dallas, no Porto, da empresa que tem também escritórios em Malta e na Suíça, foi hoje confirmado.

Questionada hoje pela Lusa sobre se as buscas fariam parte do processo “Universo Espírito Santo” ou qualquer outro inquérito, a PGR remeteu para “a informação prestada através de nota à comunicação social” intitulada “Investigações relacionadas com o Universo Espírito Santo” e que foi divulgada quarta-feira.

Na resposta à Lusa, a PGR esclarece ainda que, “no decurso das diligências de ontem [quarta-feira], não foram constituídos quaisquer arguidos”.

Na nota de quarta-feira, a PGR divulgou que o Ministério Público constituiu até ao momento 11 arguidos, nove pessoas singulares e duas coletivas, na sequência de investigações relacionadas com o chamado “Universo Espírito Santo”.

No documento a PGR explicava que tinham sido feitas buscas a três domicílios, a um escritório de advogado e às instalações de quatro sociedades, em Lisboa, Porto e Torres Vedras.

No comunicado esclarece-se que correm termos no Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) sete inquéritos autónomos e 220 inquéritos apensos a um dos primeiros, todos relacionados com o denominado “Universo Espírito Santo”.

“Em causa estão suspeitas da prática de crimes burla qualificada, falsificação de documento, falsidade informática, fraude fiscal, infidelidade, abuso de confiança, branqueamento e corrupção no setor privado”, pode ler-se no documento hoje novamente encaminhado à Lusa como resposta às questões sobre a empresa ALR.CO Wealth Planning Solutions.

A Lusa tentou ouvir a empresa, mas tal não foi possível até ao momento.