“Já imaginou como seria se não pudesse falar? E se não conseguisse comer?”. Este é o mote da campanha de sensibilização que pretende unir vozes pela prevenção do cancro de cabeça e pescoço. Em Portugal, surgem cerca 800 novos casos de cancro da laringe, todos os anos, sendo que mais de metade destes doentes fica sem voz de forma temporária ou permanente. 

“Anualmente são diagnosticados cerca de 3.000 novos casos no nosso país. Contudo, o diagnóstico e o tratamento numa fase inicial permite aos doentes uma taxa de sobrevivência entre os 80 e os 90%”, explica Ana Castro, Presidente do Grupo de Estudos do Cancro de Cabeça e Pescoço. 


A médica oncologista acrescenta ainda que “o cancro de cabeça e pescoço é mais frequente em pessoas com idade acima dos 40 anos". "Contudo, temos vindo a assistir a uma crescente incidência nas pessoas mais jovens, o que está estreitamente ligado aos comportamentos de risco como tabagismo, consumo excessivo de álcool e à infecção pelo Papiloma Vírus Humano, o HPV”. 

Entre os dias 21 e 25 de setembro, realiza-se a Semana Europeia de Sensibilização para o Cancro de Cabeça e Pescoço, com a participação de vários países da Europa. Este ano, a Campanha Make Sense tem o lema “UNITING VOICES” que procura dar a voz às pessoas que, em consequência desta doença, ficam com determinadas limitações, nomeadamente na voz.

Em Portugal, esta campanha conta com o apoio de Ruy de Carvalho, Pedro Lima e Mafalda Luís de Castro, três reconhecidos atores nacionais que dão a sua voz por esta causa.