Um jovem de 22 anos foi assassinado à queima-roupa, este domingo, em Vialonga, em Lisboa. Os confrontos terão começado com agressões a um primo da vítima e mais tarde terminaram com um disparo de caçadeira. Pelo menos, seis jovens terão presenciado o disparo fatal.

Veja aqui o vídeo

O principal suspeito do crime já está identificado, no entanto, ao que o TVI24 apurou, junto de fonte policial, ainda não foi efectuada qualquer detenção. O suspeito e a vítima são de bairros situados no concelho de Vila Franca de Xira e as rivalidades entre os jovens terão originado o desfecho fatal.

Também este domingo, ao final da tarde, nas Olaiais, no centro de Lisboa, houve tiroteio entre gangs rivais, tendo o presidente da Junta de Freguesia considerado que as Olaias são um barril de pólvora. Apesar dos disparos, segundo a PSP, não houve feridos.

O mesmo não aconteceu no homicídio de Vila Franca de Xira, em que, o primeiro episódio violento ocorreu, segundo as autoridades, na noite de sexta-feira, pelas 21h, Forte da Casa, quando um jovem terá sido agredido «à coronhada» por um residente do bairro, frente a um café do bairro. O jovem terá ficado com o nariz partido e os lábios rebentados.

No dia seguinte, os jovens terão passado no bairro rival e efectuado um aviso aos agressores, segundo conta o Correio da Manhã. Pela 1h15m, chega a hora de mais um ajuste de contas, desta feita no Bairro da Icesa, em Vialonga, frente ao café Canecão. Os jovens não gostaram do aviso e deslocaram-se em duas viaturas, com vários jovens no interior, ao bairro de Vialonga.

Um deles chamou o primo do jovem agredido no dia anterior, e que terá feiro o aviso, e disparou à queima-roupa. O jovem foi atingindo no abdómen, ainda foi transportado para o hospital de Vila Franca, mas acabou por falecer.

A PJ e a GNR estão a juntar esforços para deter o suspeito, mas caso a detenção não ocorra nas próximas horas, temem-se mais confrontos.