O touro que foi salvo do matadouro pelas redes sociais, após uma fuga de vários dias pelos montes de Viana do Castelo em maio, voltou a escapar estando agora a ser procurado em Aveiro, disse hoje fonte da GNR.

As operações de busca ao animal, com 500 quilos de peso e considerado «muito bravo», estão a cargo do destacamento da GNR de Anadia, tendo esta nova fuga sido detetada durante a manhã de domingo.

«Temos patrulhamento no terreno para tentar encontrar o animal, até porque pode colocar em perigo a segurança rodoviária e de pessoas. Nesse caso terá de ser abatido, porque é bravo e como está assustado torna-se mais perigoso», explicou à Lusa fonte da GNR.

Ainda no domingo, o touro foi avistado numa zona de floresta e mato de Vagos, igualmente no distrito de Aveiro, mas voltou a escapar.

Esta nova fuga aconteceu dois dias depois de transportado de Viana do Castelo para uma herdade na vila da Palhaça onde, após ter sido comprado com donativos angariados nas redes sociais, deveria ficar a viver em liberdade.

O touro não voltou a ser visto nas últimas horas, tendo os militares ordem para o abater, caso falhem as opções de utilização de dardos tranquilizantes, assegurados pelos veterinários municipais de Anadia e Oliveira do Bairro.

A GNR estima que desde o início desta fuga, o touro já terá percorrido perto de 15 quilómetros, na região de Aveiro.

Uma campanha de angariação de donativos nas redes sociais permitiu garantir a compra deste touro, um dos dois que a 06 de maio fugiram ao criador, em Perre, Viana do Castelo, sendo este o único que chegou a ser recuperado, ao fim de seis dias.

A compra do animal, por 1.378 euros, foi concretizada a 26 de junho e o transporte para Aveiro aconteceu na última sexta-feira. Esta verba foi angariada através da dinamização feita pelo movimento «Touros em Fuga», que reúne cerca de 3.000 seguidores nas redes sociais, criado para «patrocinar» a «fuga definitiva» dos animais.

A campanha foi realizada em parceria com a associação S.O.S Equinos, de Aveiro, que recebeu o animal e que se comprometeu a garantir que continuaria a viver em liberdade sem a ameaça do matadouro, como esteve prestes a acontecer no mês passado, depois da sua captura.

Já esta semana, duas pessoas foram feridas por um outro touro que fugiu para o Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro, em Vila Real, e que acabou por ser abatido por agentes da PSP.

Segundo fonte daquela força, o animal fugiu na segunda-feira, depois de ter rebentado a corda que o prendia, na altura em que estava a ser colocado numa carrinha de transporte.

O touro entrou no perímetro do centro hospitalar, atravessou todo o recinto e provocou ferimentos ligeiros em duas pessoas, assim como danos em viaturas que ali estavam estacionadas.