Os acidentes rodoviários provocaram 209 mortos nos seis primeiros meses do ano, menos 22 do que em igual período de 2013, enquanto os feridos graves aumentaram 7,2 por cento, totalizando 908, foi hoje divulgado.

Segundo dados da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), entre 01 de janeiro e 30 de junho registaram-se nas estradas portuguesas 55.562 acidentes, mais 97 do que no mesmo período do ano passado, quando ocorreram 55.465 desastres.

As vítimas mortais diminuíram 9,5 por cento nos primeiros seis meses do ano, tendo os desastres causado 209 mortos, enquanto 231 pessoas morreram no mesmo período de 2013, adianta a Segurança Rodoviária.

Os distritos com o maior número de mortos são Lisboa e Porto, com 20 em cada um, e Setúbal e Coimbra, com 17 em cada.

Já os distritos onde se registaram menos vítimas mortais foram na Guarda (dois), Portalegre e Beja (quatro).

A ANSR indica também que os acidentes provocaram 908 feridos graves este ano, mais 61 do que em igual período de 2013, quando ficaram gravemente feridas 847 pessoas.

Nos primeiros seis meses do ano sofreram ainda ferimentos ligeiros 15.971 pessoas, contra as 16.787 do ano passado.

Os dados da ANSR dizem respeito às vítimas mortais cujo óbito ocorreu no local do acidente ou a caminho do hospital.