Paulo Almeida, o suspeito de ter morto a tiro Alexandra Neno e Diogo Ferreira, há cinco anos, em Oeiras, vai aguardar julgamento em prisão preventiva.

Duplo homicida ameaçou chefe com tiros

Segundo uma nota lida hoje à noite por um oficial de justiça do Tribunal de Loures, Paulo Jorge Figueiredo Almeida está «fortemente indiciado» pela prática de dois crimes de homicídio qualificado, de um crime de homicídio qualificado na forma tentada, de um crime de roubo na forma tentada, de um crime de furto qualificado na forma tentada e de um crime de detenção de arma proibida.

A juíza Paula Santos justificou a aplicação da medida de coação de prisão preventiva ao arguido, de 35 anos e segurança/vigilante, com o «perigo de fuga e o perigo, em razão da natureza e circunstâncias do crime e da personalidade do arguido, que este continue a atividade criminosa, bem como perturbe gravemente a ordem e tranquilidade públicas».

Fonte ligada ao processo adiantou à agência Lusa que o arguido voltou a «confessar tudo», durante o primeiro interrogatório judicial.

Paulo Jorge Figueiredo Almeida entregou-se voluntariamente na terça-feira à Polícia de Segurança Pública (PSP) para confessar os dois crimes, tendo levado consigo a suposta arma por si utilizada na prática dos mesmos.

O homem chegou hoje ao tribunal de Loures pelas 14:20, tendo começado a ser interrogado pela juíza de instrução criminal cerca das 17:30. Pouco antes das 21:30, o oficial de justiça, através de um comunicado, informava qual a medida de coação aplicada ao arguido e os crimes pelos quais está indiciado.