Dois obstetras da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto foram classificados pelos seus pares entre os três melhores especialistas mundiais no campo da cardiotocografia - a monitorização contínua da frequência cardíaca do feto e das contracções uterinas da grávida.

Segundo disse esta terça-feira à Lusa fonte daquela instituição, João Bernardes e Diogo Ayres de Campos, obstetras, professores e investigadores do Departamento de Ginecologia da FMUP, foram considerados, respectivamente, o primeiro e terceiro melhores investigadores do mundo esta especialidade pela BioMedExperts. O presidente do Colégio Inglês de Ginecologia e Obstetrícia, Sabaratnam Arulkumaran, foi apontado como número dois.

Através da cardiotocografia, exame cujo resultado é semelhante a um traçado de eletrocardiograma, o médico pode avaliar se o feto tem insuficiência na oxigenação cerebral por motivos placentários, posicionais ou compressões do cordão umbilical, como por exemplo a circular cervical, mais conhecida como «cordão enrolado no pescoço».

A BioMedExpertsé uma comunidade online de grande reputação, que junta, via Internet, cientistas de todo o mundo com o objectivo de dinamizar a partilha de conhecimento científico e promover a criação de parcerias de investigação.

Esta comunidade integra o currículo de 1,5 milhões de cientistas de todo o Mundo. O ranking específico para a cardiotocografia encontra-se na área dedicada a esta especialidade desta comunidade.

João Bernardes e Diogo Ayres de Campos criaram, em colaboração com o Instituto de Engenharia Biomédica (INEB), um programa informático de grande impacto na prática clínica na área da Obstetrícia - o OmniView-SisPorto.

Este programa - que está em uso em unidades de saúde de Portugal, Holanda, Reino Unido, Suíça e Dinamarca, e é comercializado pela empresa portuguesa Speculum a nível nacional e internacional - efectua uma leitura dos sinais provenientes do feto, identificando situações relacionadas com a baixa oxigenação e emite alertas automáticos que são recebidos pelos profissionais de saúde em qualquer ponto com acesso à rede informática hospitalar ou à Internet. A monitorização dos bebés é assim realizada pelo programa 24 horas por dia, alertando os profissionais de saúde no caso de surgirem alterações.

Os dois especialistas da FMUP e investigadores do INEB já publicaram nas mais reputadas revistas científicas internacionais, tais como o American Journal of Obstetrics and Gynecology, o British Journal of Obstetrics and Gynecology, o European Journal of Obstetrics and Gynecology, entre outros. Juntos, produziram mais de cinquenta artigos científicos e venceram mais de dez prémios.