depois de ter caído em casa no dia 26 de junho

“Teve um dia felicíssimo. Perfeitamente lúcida, preocupada até com o facto de nós acharmos que não era preciso tirar o robe e vestir um vestido [para ir ao hospital]. Portanto, com uma lucidez total”, revelou o sobrinho. 


Maria Barroso tinha 90 anos de uma vida preenchida 




“Quando vejo o meu marido, vejo exatamente o mesmo homem que conheci há 70 anos. Com a mesma ternura, a mesma simpatia e a mesma admiração por tudo o que foi a sua vida”, disse ao jornal i há dias.


i,

“Só penso no passado para ver o que não fiz e ainda posso fazer. Gosto de me projetar no futuro, de ajudar os mais novos e de seguir o que se passa, o que se diz, o que se pensa” e, por isso, mostrou-se “preocupada com o nosso país, com a Europa e com o mundo, “mas sempre com esperança”.


“Pedi a Deus e senti-me bem nesse novo encontro com a religião”, disse ao i. Conheceu vários Papas e não escondeu a admiração por Francisco.






Expresso,

Mário Soares, o amor da sua vida e de uma vida




i



“Não podia visitá-lo se não estivesse casada com ele. A polícia política não deixava que pessoas de fora, apenas amigos, se visitassem. Foi um ponto de partida importante na nossa vida. Em 68 vou viver com ele para S. Tomé, quando é deportado; se houvesse apenas uma relação de amizade seria muito difícil”, explicou ao DNa, na altura.


Expresso.






A eterna primeira-dama









“Parar é morrer”




Expresso,

“Recordo com muita emoção os momentos que vivi com os meus pais e com os meus irmãos. Adorava-os. Recordo também todos os momentos que vivi com o meu marido quando éramos mais novos, o nascimento dos meus filhos, o regresso dele do exílio em São Tomé, o 25 de Abril, quando eu e o meu marido estávamos na Alemanha. Foram momentos muito especiais e emocionantes”.


i: