o seu segundo pedido de libertação imediata

Desta vez, Mota Cardoso alega que a manutenção da prisão preventiva, decidida no início da semana, é ilegal.

esta sexta-feira ao juiz conselheiro Raul Borges, da terceira secção do Supremo Tribunal, que deverá decidir na próxima semana.