De acordo com o relatório da Entidade Reguladora dos Serviços de Água e Resíduos (ERSAR) divulgado esta terça-feira, a qualidade da água das torneiras subiu de «forma consistente» na última década, com o indicador de «água segura» a ultrapassar os 98 por cento (%) em 2012.

«Se em 1993 apenas cerca de 50% da água era controlada e revelava boa qualidade, em 2012 este indicador atingiu o valor de 98%», revela o relatório anual da ERSAR divulgado no Dia Nacional da Água.

«Em Portugal, 98,2% da água é segura», um «número excelente, ao nível dos melhores países da Europa, ninguém tem 100%», referiu o presidente da entidade reguladora à agência Lusa.

Há ainda uma pequena percentagem (1,65%) que não cumpre os valores definidos. Estes problemas concentram-se essencialmente em pequenos aglomerados do interior do país e são muitas vezes associados a fontanários de águas, que são «mais difíceis de controlar em termos de qualidade», além de não serem muito utilizados para abastecimento público.

Contudo, estes «poucos casos de incumprimento» nunca chegam a colocar em risco a saúde pública, porque a legislação obriga a que sejam «objeto de intervenção imediata», explicou Jaime Melo Baptista.

O presidente da ERSAR assegurou que «Portugal é um país onde efetivamente é seguro beber água da torneira».

«Nos últimos 20 anos, deixou de falar-se em problemas de saúde motivados pela água. No final dos anos 70, ainda houve casos de cólera em Portugal», mas esses problemas «já não existem», comentou.

O objetivo agora é atingir os 99% de água segura.