No próximo ano letivo, a rede de ensino de português em Espanha vai deixar de fora os alunos do primeiro ciclo, passando as aulas a ser lecionadas apenas a partir do quinto ano, denunciou esta quinta-feira fonte sindical.

«O instituto Camões, à revelia de todos os regulamentos, decidiu que só contam para elaboração de horários os alunos a partir do quinto ano. Os outros ficam sem aulas, porque embora em Espanha o ensino esteja integrado no horário escolar normal é todo pago por Portugal», disse à agência Lusa Teresa Soares, do Sindicato dos Professores das Comunidades Lusíadas (SPCL).

A responsável explicou que, seguindo orientações da coordenação de ensino, os professores se empenharam em angariar novos alunos que agora não terão aulas de português.

«Houve professores que conseguiram 150 ou 160 inscrições e agora dizem-lhes que os horários foram extintos e que estão desempregados», disse Teresa Soares, adiantando ter conhecimento de quatro professores nesta situação.

A sindicalista adiantou que os sindicatos não foram consultados sobre esta matéria e que já enviou pedidos de esclarecimento para o instituto Camões e para o secretário de Estado das Comunidades, que tutela o ensino de português no estrangeiro.