A polícia de Andorra deteve hoje de madrugada, na fronteira, o cidadão português Pedro Lopes Castro, presumível agressor de um taxista em Sispony, noticiou a Rádio Nacional de Andorra.

O português de 19 anos tinha saído daquele principado na semana passada, depois de ter agredido o taxista, causando-lhe lesões na coluna e no pulmão direito e pensa-se que poderá ter negociado com as autoridades portuguesas entregar-se à polícia andorrenha para cumprir pena no país.

A polícia andorrenha confirmou em comunicado divulgado na sua página da internet a detenção do jovem português às 04:27 da madrugada de hoje, na fronteira do rio Runer.

Pedro Lopes Castro encontra-se agora sob custódia policial aguardando ser presente a tribunal de instrução.

As forças da ordem recordaram que mantiveram sempre o presumível agressor sob controlo, tanto na sua deslocação dentro do principado, quanto na sua última viagem a Portugal, já que o ministério público de Andorra havia emitido um mandado de detenção nacional e internacional.

O comunicado destaca que não deteve o suspeito num primeiro momento, porque não pôde obter declarações da vítima, dado o seu delicado estado de saúde e, além disso, as provas disponíveis não eram suficientes para poder determinar o envolvimento do suspeito.

A polícia de Andorra salientou que a detenção foi possível graças à recolha de provas por parte dos agentes, em que se encontraram elementos fundamentais sobre a presumível autoria do crime, e a disponibilidade e a cooperação da família do jovem.