Portugal é o segundo país da União Europeia com menores emissões de dióxido de carbono através da frota automóvel, o que se deve à dimensão mais reduzida e menos poluente dos veículos, aos benefícios fiscais e à crise económica.

Um estudo publicado esta terça-feira em Bruxelas pela Federação Europeia dos Transportes e Ambiente (T&E), da qual faz parte a associação Quercus, indica que os novos veículos ligeiros em Portugal emitiram, em média, 117,7 gCO2/km em 2012.

O país com menos emissões foi a Dinamarca, enquanto o terceiro lugar é ocupado pela Holanda.

Segundo a Quercus, este «desempenho positivo de Portugal» deve-se ao facto de a frota média de automóveis ligeiros ser dominada por veículos de dimensões mais reduzidas (e menos poluentes) e da carga fiscal beneficiar os veículos menos poluentes.

«A crise económica que o país atravessa terá também resultado no decréscimo das vendas de novos veículos ligeiros, destacando as vendas dos mais eficientes», escreve a Quercus em comunicado citado pela Lusa.

Este estudo - intitulado «How Clean are Europe's Cars» - mostra o progresso anual feito pelos fabricantes de automóveis para reduzir o consumo de combustível e as emissões de CO2 dos novos veículos ligeiros de passageiros colocados no mercado europeu, por comparação com as metas de emissões para 2015.