Um dos painéis informativos da Guarda, situado junto do edifício do Paço da Cultura e do Museu, transmitiu, na madrugada de domingo, filmes pornográficos em vez da informação turística e de lazer. Recorde-se que algo semelhante já tinha acontecido em Ponte de Lima.

A Agência para a Promoção da Guarda (APGUR) está a «apurar responsabilidades» sobre o caso. «Foi um ato de pirataria informática e estamos, neste momento, ainda a tentar apurar por que via», disse a agência Lusa esta segunda-feira António Saraiva, diretor da APGUR, entidade gestora do equipamento localizado na via pública.

O sucedido foi reportado à empresa instaladora do sistema e tudo irá ser feito «para que não aconteçam novos atos», disse.

«Também já está a ser providenciado tentarmos bloquear outros sistemas para que conteúdos impróprios não possam ter esta facilidade e agilização em termos de atos de pirataria», acrescentou.

António Saraiva adiantou que o conteúdo pornográfico «foi visível às 03:00» de domingo e que está a ser apurado o período de duração da passagem do mesmo, admitindo que terá sido «pontual».

O alerta foi dado pelas 12:00 de domingo, por um cidadão da Guarda, e o painel em causa foi imediatamente desligado.

No caso de Ponte Lima, o pirata informático assumiu que foi «uma sátira» e garantiu que não quis ofender ninguém.