A ocupação excessiva da sala de aula pode afetar a qualidade do ar, concluiu um estudo científico apresentado hoje no 14.º Congresso Nacional de Pediatria que decorre, no Porto, até sábado.

O estudo, apresentado pelo investigador Nuno Neuparth, da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa e especialista no Hospital Dona Estefânia, revela que os infantários em Portugal têm de melhorar os seus sistemas de ventilação.

«A densidade da ocupação, às vezes excessiva, dos espaços afeta a qualidade do ar e alguns aspetos da qualidade do ar afetam verdadeiramente a saúde das crianças», disse Nuno Neuparth à agência Lusa.

O investigador expressou também grande preocupação pela legislação portuguesa «não considerar este aspeto como fundamental» antes de estabelecer o número de alunos máximo numa sala de aula.

Nuno Neuparth realçou que «três em cada 10 crianças que frequentam infantário têm pieira», sintoma que, em alguns casos, pode evoluir para asma.