«Uma loja em Paris vende roupa interior e alta pastelaria, a mesma coligação improvável do executivo Passos-Portas. Afinal, o irrevogável fica ou não fica? E o irresponsável, cai ou não cai? A única certeza é a de um governo em leilão na praça, enquanto o presidente se finge morto. Mas o descrédito dá para os dois lados, avança tanto no mercado como pelo eleitorado afora. Nada será como dantes...»