A Procuradoria-Geral da República (PGR) recebeu esta sexta-feira o pedido de esclarecimento dos pais dos seis estudantes que morreram na praia do Meco, em dezembro do ano passado, sobre o despacho de arquivamento do processo.

«A PGR recebeu uma exposição subscrita pelo advogado que representa os assistentes», refere nota enviada à agência Lusa, acrescentando que «essa mesma exposição vai ser objeto de apreciação».

Esclarece ainda a PGR que o pedido de esclarecimento, entregue pelo advogado Vítor Parente Ribeiro, está enquadrado nas disposições legais em vigor, assim como a abertura da instrução, que os pais das vítimas anunciaram já que o vão fazer.

No pedido de esclarecimento à PGR, noticiada na noite de quinta-feira pela TVI, o advogado das famílias, constituídas assistentes no processo, denunciam as contradições entre as declarações do médico das Urgências do Hospital Garcia da Orta, em Almada, e o que é referido no despacho.

O médico observou João Gouveia, o único sobrevivente na madrugada de 15 de dezembro, encontrado na praia em hipotermia pela Polícia Marítima, à qual transmitiu que os outros seis estudantes da Universidade Lusófona tinham sido arrastados para o mar por uma onda.