NOTÍCIA ATUALIZADA ÀS 11:56

A explosão e o incêndio numa rua de Campolide, em Lisboa, causaram quatro feridos, dois deles em estado grave devido a queimaduras, disse à Lusa fonte dos bombeiros sapadores de Lisboa.

Os dois feridos graves foram transportados para o hospital de São José.

Segundo referiu o bombeiro, a explosão ocorreu numa loja de tapetes, no número 22b da rua Conde das Antas, em Campolide, tendo depois incendiado uma residência em anexo.

O fogo já foi extinto pelos bombeiros, mas «ainda há muitos danos e uma saída livre de gás» que os bombeiros esperam ver cortada pelo piquete da empresa, referiu.

As causas da deflagração do fogo ainda não foram apuradas, disse o mesmo bombeiro, explicando que a investigação será feita pela PSP.



Várias viaturas foram afetadas pela ocorrência.

Os bombeiros foram chamados para o local por volta das 9:40.

Uma testemunha disse à Lusa que a explosão que se ouviu «parecia uma bomba» e aconteceu num edifício onde se encontra uma garagem pública e um estofador.

«Foi a cerca de 100 metros daqui», disse a comerciante, que trabalha numa loja de limpezas a seco, na rua Conde das Antas.

O secretário da Junta de Freguesia de Campolide, Miguel Marques, assegurou que «não há perigo de uma nova explosão» no prédio onde deflagrou o incêndio.

«Não há perigo de nova explosão, o gás foi cortado e os bombeiros estão a proceder às operações de rescaldo», disse Miguel Marques, que também faz parte da Unidade de Proteção Civil de Campolide.

Segundo Miguel Marques, o incêndio terá tido início com uma explosão de gás, num rés-do-chão do prédio onde funcionava uma «oficina de estofadores», que terá tido um «efeito triplicado devido ao material inflamável» presente naquele espaço.