O comandante dos bombeiros de Murça disse que o combate ao incêndio de Sobredo/Noura, que já lavra desde terça-feira, provocou dois feridos e um terceiro bombeiro teve que receber assistência devido a uma intoxicação.

Joaquim Teixeira explicou que dois bombeiros, um da corporação de Provesende e outro de Murça, sofreram quedas enquanto combatiam o fogo em locais de encostas íngremes e para onde os bombeiros têm de «descer fraga a fraga».

De acordo com o responsável, no primeiro caso, após ter caído, o bombeiro queixou-se de dores nas costas, tendo sido imobilizado e transportado para o Hospital de Vila Real, de onde já teve alta.

Já a bombeira de Murça fraturou a tíbia e ainda se encontra hospitalizada naquela unidade hospitalar.

No terceiro caso, o operacional sentiu-se mal devido à inalação de fumos.

«É bastante difícil combatermos este incêndio porque nós não temos qualquer acesso. São zonas de encosta acentuada», acrescentou o comandante.

O incêndio de Sobredo deflagrou cerca das 21:00 de terça-feira e, esta manhã, avança em duas frentes que estão a ser combatidas por 11 bombeiros e três viaturas.

Joaquim Teixeira referiu ainda na que, na quarta-feira à noite, lavraram quatro fogos em simultâneo no concelho, uma situação que «hipotecou todos os meios».

«Tenho alguma dificuldade em aceitar que qualquer um destes quatro incêndios seja de origem acidental, até porque dá a ideia que foram em locais estratégicos que eles apareceram», referiu ainda.

Um outro incêndio que deflagrou na quarta-feira em Vale Egua/ Jou mobiliza esta manhã 24 homens e seis viaturas.

Esta quinta-feira, os bombeiros combatem sete incêndios no distrito de Vila Real. Além de Murça, registam-se ainda dois incêndios em Vila Pouca de Aguiar, mais dois em Valpaços e um outro em Boticas.