A comunidade Emaús de Caneças, Odivelas, viu esta quarta-feira os seus três armazéns, situados naquela localidade, serem consumidos por um incêndio, que provocou prejuízos superiores a 150 mil euros, disse um responsável da instituição.

Fonte policial confirmou à Lusa que o incêndio deflagrou pelas 03:30 da madrugada nos armazéns desta instituição privada de solidariedade social, tendo sido dado como dominado duas horas depois.

Os armazéns continham diversos materiais restaurados e eram destinados à venda nas lojas de solidariedade social desta comunidade de acolhimento, sendo que os lucros obtidos são a sua fonte principal de rendimento, explicou Humberto Pereira.

«Arderam os pavilhões do setor da restauração da comunidade e ficou, de facto, absolutamente tudo ardido. Tanto os móveis para restaurar, os móveis vendidos, que eram para restaurarmos e entregar. As máquinas, os produtos, desapareceu absolutamente tudo», salientou.

O responsável adiantou que o seguro está a avaliar a situação e a comunidade já fez «um pedido de urgência» à Emaús Internacional para receber «algum apoio».

O incêndio, cujas origens são desconhecidas, não provocou feridos e no local, segundo fonte policial, estiveram 17 veículos apoiados por 49 elementos, entre os quais bombeiros, polícia e proteção civil.