O ministério da Educação quer encerrar mais de 440 escolas já no próximo ano letivo, segundo apurou a TVI em primeira mão.

Segundo documentos a que tivemos acesso, Nuno Crato quer fechar mais 448 estabelecimentos de ensino do 1º ciclo e do pré-escolar com menos de 21 alunos.

A região centro do país é a mais afetada com o encerramento de mais de 200 estabelecimentos de ensino.

Viseu no topo com 62 escolas assinaladas para fechar

Viseu e a Guarda são os distritos onde mais escolas podem fechar já no próximo ano letivo. A proposta foi apresentada às autarquias e já levou municípios de Trás-os-Montes a pedir a intervenção do primeiro-ministro Passos Coelho para travar a decisão.

Nuno Crato nunca descartou a hipótese de vir a encerrar mais algumas dezenas de escolas, mas o número proposto pelo ministério da educação é bem maior: 448 estão na lista de encerramento definitivo apresentada às autarquias e a que a TVI teve acesso.

Nuno Crato quer acabar com estabelecimentos de ensino do 1º ciclo e do pré-escolar com menos de 21 alunos.

Viseu é o distrito mais afetado com o encerramento de 62 escolas. Segue-se a Guarda com 45 escolas e o distrito de Santarém com 37 estabelecimentos de ensinos em risco de não abrir portas no próximo ano letivo, ou seja, já no próximo mês de setembro.

Uma razia que está a indignar os autarcas, como os da região de Trás-os-Montes, onde está previsto o encerramento de mais de 30 escolas. Um descontentamento que os municípios da região já fizeram chegar por carta ao primeiro-ministro onde pedem que impeça a aplicação da proposta do ministério.

Contactado pela TVI, o ministério da Educação relembra os objetivos do reordenamento da rede de escolas do 1.º ciclo, ressalvando que o processo está ainda a decorrer em diálogo com as autarquias.