O Projeto Troika, desenvolvido por oito fotojornalistas e um realizador, é lançado esta quinta-feira na Internet. O objetivo desta iniciativa é retratar os efeitos da passagem da «troika» pelo nosso país.

A ideia partiu de Adriano Mirando, fotojornalista do jornal Público, e de Lara Jacinto, que convidaram António Pedrosa, Vasco Célio, Pedro Neves, Bruno Castanheira, Paulo Pimenta, José Carlos Carvalho e Rodrigo Cabrita a juntar-se a esta iniciativa.

O projeto nasceu, há cerca de um ano, de uma vontade de dar continuidade ao projeto 12.12.12, de que muitos deles fizeram parte e que, inclusive, deu origem a um livro e a uma exposição.

De ponto vista editorial, este projeto não se define por ser a favor ou contra a «troika», apenas pretende mostrar as consequências e os resultados sociais das medidas governamentais impostas a todos os portugueses. Cada fotógrafo tem por isso total liberdade para trabalhar, desde que se relacione com a «troika».

José Carlos Carvalho, por exemplo, decidiu olhar para a rua e foi lá que encontrou o tema do seu portefólio.

«Ando muito na rua, vejo as pessoas tristes, desanimadas, paradas, cabisbaixas e é isso que quero mostrar», confessou o fotojornalista da Visão ao tvi24.pt

Questionado sobre o porquê de não ter recorrido aos apoios de fundações nem de empresas, José Carlos Carvalho revelou terem enfrentado os mesmos problemas durante a realização do projeto 12.12.12. e a resposta era sempre a mesma: «Gostamos muito do vosso projeto, mas estamos em crise».

«Decidimos então que devíamos recorrer às pessoas, as que falam da troika, as que sofrem com a troika, que se puderem e quiserem, podem ajudar-nos a concretizar este nosso projeto», acrescentou.

«Esperamos que daqui há 5 ou 10 anos, possamos desta forma olhar para estes portefólios e perceber as mudanças em termos sociais e culturais que ocorreram no país», concluiu José Carlos Carvalho.

Os portefólios deverão estar concluídos em maio, data prevista para a saída da Troika de Portugal, mas a angariação de fundos vai decorrer até setembro.

O grupo precisa de 15 mil euros para poder publicar um livro, que inclui um cd com um vídeo, numa edição de autor. Cada livro custará 25 euros, mas há outras formas de apoiar o projeto.

Na página Projeto Troika, há mais informações sobre o trabalho desenvolvido assim como os seus autores, mas também sobre as diversas formas de apoio ao projeto.