Uma parte das flores que embelezam o andor que transporta a imagem da Virgem de Fátima na peregrinação internacional aniversária, que começa esta segunda-feira, vai ser entregue aos doentes do hospital de Faro, informou o santuário.

O capelão do Santuário de Fátima Manuel Antunes explicou à agência Lusa que a iniciativa, que se repete há cerca de 20 anos, tem origem nos acontecimentos de 1917 na Cova da Iria. «A partir da segunda aparição, Nossa Senhora pede uma dedicação muito grande para com os doentes e o santuário entende que, de facto, os doentes são peregrinos especiais», explicou o sacerdote.

Segundo o responsável, por essa razão, «o santuário decidiu enviar para um determinado hospital as flores do andor de Nossa Senhora, dos dias 12 e 13 dos meses de maio a outubro».

«Assim, em cada mês, em cada ano, vamos procurando, não digo ir a todos os hospitais, mas, o mais possível, fazer chegar aos doentes uma flor de Nossa Senhora que parece que muito apreciam», adiantou Manuel Antunes.

O responsável referiu que o santuário encarrega «sempre alguém que já trabalha» no hospital escolhido «ou que já tem qualquer relação com as pessoas que lá estão dentro para que as flores cheguem mesmo aos doentes».

As flores que adornam o andor são sempre brancas e, normalmente, cravos. «Quando se trata de cravos, são necessários cerca de 600», esclareceu o santuário, adiantando que são precisas três pessoas e uma manhã para realizar este trabalho.

No âmbito do apoio aos doentes, o santuário realiza anualmente 28 retiros gratuitos, de três dias cada, para doentes, onde procura que recebam «conforto humano e espiritual», acrescentou o padre Manuel Antunes.

A abertura oficial da peregrinação de 12 e 13 de maio, 97 anos após os acontecimentos de Fátima, está marcada para as 18:30 de hoje, na Capelinha das Aparições, encerrando com a missa, seguida da procissão do adeus, na manhã de terça-feira, no recinto do santuário.