Trinta e sete municípios foram reconhecidos como familiarmente responsáveis, pelo Observatório das Autarquias Familiarmente Responsáveis, criado pela Associação Portuguesa de Famílias Numerosas. Este ano, 98 municípios(menos cinco do que no ano passado)responderam ao inquérito. O ano passado, 35 tinham sido considerados familiarmente responsáveis e este ano, mais dois receberam o galardão.

As câmaras foram familiarmente responsáveis com base nas respostas que proporcionam em dez áreas de atuação, nomeadamente os apoios à maternidade e paternidade; o apoio às famílias com necessidades especiais; serviços básicos; educação e formação; habitação e urbanismo; transportes; saúde; cultura, desporto, lazer e tempo livre; cooperação, relações institucionais e participação social e outras iniciativas desenvolvidas. São ainda analisadas as boas práticas das autarquias para com os funcionários autárquicos em matéria de conciliação entre trabalho e família.

Das 37 câmaras vencedoras, 25 recebem o prémio pela terceira vez, o lhes vale nesta quinta edição da iniciativa uma menção honrosa. Na lista dos vencedores constam os municípios de Lousã, Abrantes, Amadora, Castro Marim, Gouveia, Lisboa, Loures, Mação, Praia da Vitória, Vieira do Minho, Vila Nova de Famalicão e Vila Franca de Xira.

Este prémio instituído há cinco anos pretende «incentivar as câmaras premiadas a fazerem mais e melhor no âmbito das políticas de apoio à família», refere em comunicado Teresa Ribeiro, umas das responsáveis pelo Observatório.

A cada município vencedor será entregue, no dia 06 de novembro, a bandeira verde da iniciativa numa cerimónia realizada no auditório da Associação Nacional dos Municípios Portugueses, em Coimbra.

A Associação Portuguesa de Famílias Numerosas iniciou em janeiro de 2002 uma colaboração com as autarquias para a construção de uma «Política Autárquica de Família». Este trabalho levou à adoção da Tarifa Familiar da Água no concelho de Sintra e do Cartão de Família Numerosa em Coimbra.