Um estudo divulgado pela revista «New England Journal of Medicine» revelou que pessoas que consomem diariamente uma porção de nozes, amêndoas ou avelãs têm tendência a viver mais tempo.

O estudo acompanhou cerca de 120 mil pessoas ao longo de 30 anos e verificou uma queda de 20% na taxa de mortalidade, em comparação com outras pessoas que nunca consumiram frutos secos.

Apesar das pessoas que consomem regularmente oleaginosas terem um estilo de vida mais saudável, o consumo em si também contribuiu para uma vida mais longa, concluíram os cientistas.

Contudo, a organização não-governamental britânica «British Heart Foundation» afirma que serão precisos mais estudos para realmente se comprovar que a longevidade tem uma intrínseca relação com o consumo diário de frutos secos.



«Embora seja uma descoberta muito interessante, precisamos de mais pesquisas para garantir que são os frutos secos que prolongam a vida das pessoas analisadas e não outros aspetos relacionados com o estilo de vida», revelou Victoria Taylor, nutricionista da organização, à BBC News.