A organização não-governamental World Monuments Fund (WMF) apontou, na terça-feira, a Biblioteca Joanina da Universidade de Coimbra e o Forte de Nossa Senhora da Graça, em Elvas, na lista mundial de monumentos em risco de degradação.

Os dois monumentos, ambos classificados como Património da Humanidade pela UNESCO, integram a lista divulgada em conferência de imprensa pela organização, em Nova Iorque.

A biblioteca de Coimbra enfrenta desafios de controlo ambiental para preservar a coleção de livros e componentes frágeis da construção, de acordo com o relatório da WMF. Os problemas de infiltrações de água e bolor nas paredes contribuem também para o aumento da degradação.

A WMF pede melhor gestão do espaço, incluindo a criação de condições de proteção ambiental, e também mais atenção aos acessos.

Já sobre o Forte de Nossa Senhora da Graça, em Elvas, a organização recomenda mais cooperação entre o Ministério da Defesa, a autarquia e os profissionais ligados ao património. A implementação de «um plano de gestão para este forte bem preservado» seria algo de muito benéfico para o turismo de Elvas.

No espaço de língua portuguesa, está também destacada na lista a Ilha de Moçambique, onde a pressão turística pode vir a ser uma ameaça para o património e para a sua herança cultural e natural.

A lista mundial de monumentos em risco de degradação inclui um total de 67 pontos em 41 países dos cinco continentes, desde paisagens culturais e sítios arqueológicos até centros históricos e edifícios religiosos.