O presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP), Jaime Marta Soares, disse que as corporações têm «centenas» de multas de trânsito para pagar, acusando as autoridades de «excesso de zelo», em vez de terem uma ação preventiva.

«Há centenas e centenas de coimas a pagar. Se as tivessem de pagar, algumas corporações teriam de fechar as portas. As minhas palavras são as de todos os bombeiros e não é contra ninguém, mas há um excesso de zelo por parte de algumas autoridades que têm uma ação repressiva em vez de serem dissuasoras», lamentou Marta Soares, durante o seu discurso de comemoração do 82.º aniversário dos Bombeiros Voluntários de Azambuja.

Após a cerimónia, o ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, afirmou que as «forças de segurança atuam sempre no respeito da lei», mas defendeu que as mesmas devem realizar «ações preventivas» junto das corporações de bombeiros.

«As forças de segurança atuam sempre no respeito da lei. Percebo as questões que foram colocadas pelo senhor presidente da Liga, mas entendo que esses problemas são verdadeiros e que acontecem, não podem ser resolvidos através do apelo à não fiscalização das forças de segurança, no âmbito das suas competências», defendeu o ministro.

Contudo, Miguel Macedo espera que no futuro estas situações possam ser evitadas.

«Mas é possível fazer, por exemplo, através de ações preventivas com as forças de segurança junto das corporações de bombeiros, um conjunto de ações que não ofereçam dúvidas nem à atuação das forças da segurança nem à das corporações de bombeiros e evitem esse tipo de problemas», sustentou Miguel Macedo.

Questionado ainda sobre os processos-crime levantados aos polícias que invadiram a escadaria da Assembleia da República durante uma manifestação em 2013, o ministro escusou-se a comentar o assunto, acrescentando que o mesmo «é do foro estritamente judicial».