Os crimes violentos e graves, participados à PSP, no Algarve, durante o ano passado, diminuíram perto de 18%, o que representa cerca do dobro em relação à média nacional, disse hoje o ministro da Administração Interna, Miguel Macedo.

«Na área da PSP, os dados do ano passado da criminalidade violenta e grave desceram quase o dobro [no Algarve] daquilo que se registou em termos nacionais», afirmou Miguel Macedo, sublinhando que, a nível nacional, a participação deste tipo de crimes diminuiu cerca de nove por cento.

Falando aos jornalistas, em Faro, à margem da apresentação do dispositivo de segurança para o verão, no Algarve, o ministro da Administração Interna observou que esta é uma descida muito significativa, já que este é o tipo de crimes «que gera maior sentimento de insegurança».

Segundo Miguel Macedo, também na área da GNR foi registada uma diminuição da participação da criminalidade violenta e grave, a par de uma descida da criminalidade participada, em termos gerais.

Presente na cerimónia, o presidente da Comunidade Intermunicipal do Algarve atribuiu os resultados positivos ao empenho dos elementos das forças de segurança presentes na região.

«Considero que as forças de segurança que estão envolvidas neste processo estão de parabéns, porque estão a fazer um bom trabalho e este clima de segurança que o Algarve tem, parece-me que é muito o esforço destes homens», comentou Jorge Botelho.

O Algarve vai ter um aumento de forças, entre 15 de junho e 15 de setembro, com mais 206 efetivos da GNR, no âmbito do reforço de segurança na época alta turística. Miguel Macedo considerou que o dispositivo «é suficiente», mas prometeu que o Governo estará atento para que, caso necessário, seja feito um reforço.

A região vai contar com mais 336 elementos daquela força de segurança para atuação em eventos de grande dimensão.

De acordo com os dados hoje apresentados numa cerimónia, o dispositivo de segurança para o verão no Algarve da GNR vai contar com 206 efetivos, ou seja, mais 56 elementos que em 2013, e para a atuação em eventos desportivos ou musicais de grande dimensão vão ser destacados 336 efetivos da GNR, mais 112 que no verão passado.

No caso do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) o reforço vai ser igual ao de 2013, ou seja, a região vai contar com mais 16 funcionários daquele serviço distribuídos pelas atividades de fiscalização, nas fronteiras marítimas e no aeroporto.

A PSP do distrito de Faro vai ter a sua Unidade Especial de Polícia, composta por 13 elementos, afeta em exclusivo ao Algarve durante o verão assim como um reforço de 18 equipas, alternadamente de 15 em 15 dias, entre 12 de julho e 14 de setembro, em Lagos e Portimão.

A par deste reforço, a PSP vai reafectar vários elementos para ciclo-patrulhas e postos de atendimento turístico.

Para o presidente da Região de Turismo do Algarve, Desidério Silva, este reforço faz parte de uma estratégia que tem fomentado uma interligação entre as forças de segurança presentes na região e entre essas forças de segurança e as entidades oficiais.