O advogado Fernado Figueiredo, que defendeu Paco Bandeira no caso da acusação de violência doméstica, foi agora condenado pelo mesmo crime. De acordo com o acórdão, conhecido na quarta-feira, e esta segunda-feira divulgado pelo «Jornal de Notícias» (JN), o advogado foi condenado a dois anos e meio de cadeia com pena suspensa e a pagar uma multa de 500 euros por usar uma arma nas ameaças, bem como uma indemnização de 2500 euros à vítima. Fernando Figueiredo está ainda proibido de contactar com a vítima, a ex-mulher, a não ser para o cumprimento do regime de regulação do exercício das responsabilidades parentais relativas à filha menor.

O Tribunal da Guarda aplicou uma pena suspensa ao advogado de Celorico da Beira, por considerar que é um réu primário, «que se encontra inserido na comunidade e que o relacionamento com a vítima já cessou».

Fernando Figueiredo e a vítima casaram em 2003, mas divorciaram-se em 2006. Retomaram a relação em 2010 e foi precisamente após esse reatamento que começaram os problemas. Fernando Figueiredo suspeitaria de infidelidade por parte da ex-mulher e o tribunal deu como provado que, de junho a agosto de 2011, «passou a ter comportamentos reiterados de maus-tratos físicos e psíquicos para com a mulher com quem vivia». O Tribunal fala de ameaças presenciais e através de SMS. «Desconfiado da infidelidade da sua ex-mulher, perseguiu-a até ao escritório de um advogado (amigo de ambos), onde, entrando de rompante, empunhando uma arma, a privou de liberdade de movimentos, sequestrando-a», pode ler-se ainda no acórdão.

O advogado terá ainda voltado a perseguir a ex-mulher, «violando o seu domicílio e a sua privacidade».