O presidente do Governo dos Açores assinou hoje um protocolo com o Gabinete do xerife de Bristol que visa melhorar o acolhimento de deportados quando chegam às ilhas, tendo apelado aos açorianos para regularizarem a sua situção nos EUA.

O protocolo tem como objetivo «criar condições para permitir um melhor acolhimento e integração social dos deportados que chegam ao arquipélago» e foi assinado em Darmouth, no estado norte-americano do Massachusetts, por Vasco Cordeiro e pelo xerife Thomas Hodgson, revelou o executivo açoriano num comunicado.

«Sabemos que a história da emigração açoriana para as diversas partes do mundo é uma história, na esmagadora maioria dos casos, de sucesso, de triunfo, de vitória da força e da determinação dessas famílias açorianas. Mas também sabemos que existem casos, nomeadamente os dos cidadãos que são colocados numa situação de deportação, em que o destino, a sorte, terá sido madrasta para a sua vida e para as suas famílias», afirmou Vasco Cordeiro, citado no mesmo comunicado, que não dá mais detalhes sobre o protocolo em causa.

Vasco Cordeiro sublinhou, porém, sempre segundo o mesmo comunicado, que a «melhor solução» para os açorianos evitarem a deportação é regularizarem a sua situação nos EUA.

Para o presidente do Governo dos Açores, há a «necessidade imperiosa e absoluta de fazer uma pedagogia da importância, da utilidade, destes cidadãos, que têm a sua vida feita nos EUA, procederem à regularização da sua situação».

Isto, acrescentou, apesar de ser «obrigação do Governo dos Açores» não só «salientar, louvar, enaltecer as histórias de sucesso da emigração», mas também, «dentro das suas possibilidades», ajudar aqueles que saíram do arquipélago para o estrangeiros mas para os quais «a sorte terá sido madrasta».

Vasco Cordeiro visitou a seguir um centro de detenção onde estão três açorianos que aguardam deportação para as ilhas.

O presidente do Governo dos Açores está nos EUA para participar, como convidado de honra, nas Grandes Festas do Divino Espírito Santo da Nova Inglaterra, que decorrem em Fall River (Massachusetts) e são consideradas a maior manifestação cultural açoriana na diáspora, segundo anunciou esta semana o executivo regional.